GUINÉ-BISSAU LIGA DOS DIREITOS HUMANOS ACUSA POLÍCIA DE TCHALANA DE ESPANCAR “BRUTALMENTE CIDADÃO

Os agentes da polícia de Tchalana, Sector de Mansoa, espancaram brutalmente um cidadão nacional, esta terça 27 de Novembro, acusa a Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH).

Segundo as informações que a LGDH recolheu junto dos familiares da vítima, o incidente ocorreu quando um grupo de comerciantes, vulgo lumeiros, saíam de Bantadjam do qual a vítima fazia parte, no momento em que chegaram em Tchalana a viatura de transporte misto, onde seguiam, parou permitindo a descida de alguns lumeiros.

Nessa ocasião a vítima terá saído também do veículo tendo sido abordado por três indivíduos à paisana, que deram “ordem de detenção sem apresentarem qualquer documentação muito menos uma peça que os identicaria como agentes de polícia”, refere a LGDH.
Face à resistência, que segundo os familiares a vítima não sabia quem eram os indivíduos à paisana, tendo suposto que se tratava de “bandidos” que pretendiam o assaltar, “agentes impropriamente chamados de polícias, conduziram o homem a força até a esquadra de polícia de Tchalana onde foi brutalmente espancado”, denunciou a LGDH recolheu fotograas dos ferimentos inigidos.
“A prática de torturas perpetradas pelos agentes da POP tem sido recorrente na GuinéBissau, com a agravante de os autores materiais e morais nunca são punidos, e, pelo contrário, beneficiam da proteção da hierarquia da corporação”, denunciou a LGDH através das redes sociais, que condena também a “inação das autoridades nacionais perante este e outros casos de abusos e arbitrariedades perpetradas pelas forças de segurança, consubstancia num incentivo inaceitável às ilegalidades, os quais prejudicam sobremaneira credibilidade e reputação do Estado guineense”.

A LGDH exige que os autores “deste triste e criminoso ato, sejam devidamente identicados, punidos e expurgados no seio da corporação policial”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *