COMUNICADO DE IMPRENSA DO MOVIMENTO IRMÃOS PATRIOTAS DA DIÁSPORA GUINEENSE EM FRANҪA-MIPD-GF

A direcção do nosso movimento vem pela presente nota à imprensa, tornar público a sua posição perante á não surpreendente declaração incendiária, do deputado da Nação em representação do seu partido no grupo identificado da oposição à não realização das eleições legislativas no país, sob pretexto de preparação de fraudes, que na nossa perspectiva deve ser clarificada pelos órgãos competentes do ESTADO, não com ameaças, eleições estas que são importantes para o retorno a ordem constitucional, dissemos que á nós não nos surpreende, visto que, as gravíssimas declarações vem espelhar claramente o “MODUS OPERANDI” de determinados partidos na Guiné-Bissau para chegarem ao poder.
Foi com enorme indignação que o MOVIMENTO IRMÃOS PATRIOTAS DA DIÁSPORA GUINEENSE EM FRANҪA, tomou conhecimento do conteúdo da conferência de imprensa, mas uma vez, deste grupo que à três (3) anos tem atormentado a vida do nosso povo, sob alto patrocínio do presidente da república JOSE MARIO VAZ, é triste e lamentável ver que pessoas que ocuparam cargos ministeriais, deputado de nação e o mais grave serem membros de comissão executiva de partidos, têm como estratégia política a Violência, Ameaças, Incitamento a ódio e Guerra, queremos perceber com base em quê??? que no pleno século XXI° alguém pode ter tais mecanismos para acesso ao poder, pois que, na democracia é o povo quem ordena através de voto popular nas urnas.
Durante a crise sempre criticamos o PRESIDENTE, mas de forma alguma podemos congratular com ataques e ameaças contra ele, porque no nosso entendimento ele foi eleito com sufrágio direito e secreto nas urnas, pelo que, se vai sair tem que ser pela mesma via, por isso, condenamos com veemência a tais atitudes, e pensamos que o MINISTÉRIO PÚBLICO vai ser justo em tentar responsabilizar o autor das ameaças, e relembrar o JOMAV que, estes são os frutos da sua actuação, a fragilização das instituição democráticas que com a sua ajuda a crise propulsionou.

Lamentamos profundamente, e somos solidários com a Ministra da Administração Territorial, como mulher pelos danos psicológicos que os insultos covardes de um homem, que pelos visto, devia pautar a sua actuação e pronunciamento com base em princípios da ética e moral pública como sendo homem de Estado.
Porque, ela não pode estar sujeita em nome da nossa pátria amada, este tipo de tratamento, pesamos que, toda a sociedade Guineense em uma única voz deve repudiar tais ato que visam única e exclusivamente por em causa este processo.
Entretanto, para finalizarmos dizer que estamos solidários com os Alunos Guineenses na sua luta de exigir a educação, aos Governantes como um direito fundamental e universal reconhecido e consagrado na nossa LEI MAGNA e nas LEIS INTERNACIONAIS, por que como dizia “NELSON MANDELA” é a única arma para lutar contra pobreza e subdesenvolvimento.
Alerta-los que as vigílias devem estender ao palácio da república e a casa dos presidentes dos sindicatos do sector de ensino porque estão agir de ma fé com cunho político.
França 03/12/2018

O PRESIDENTE

Filinto Djalo De Pina

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *