PR apresenta uma proposta com três cenários diferentes para saída do entrave no registo eleitoral

José Mário Vaz preside da Republica da Guine-Bissau propor a anualidade, continuidade e a troca dos cartões do recenseamento eleitoral.

À saída, o PAIGC diz que o assunto do recenseamento não é da competência do Presidente da República, mas sim, do governo, Cne e do Gtape. O PRS optou pela troca dos cartões do eleitor.

Em suma, a maioria dos partidos defende a continuidade do recenseamento.

Alguns partidos manifestaram-se preocupados quanto a proposta do PR que também apresentou cortões de eleitor com dualidades das fotos. Dizem que o Presidente da República quer substituir o governo, os tribunais e a CNE.

Por fim, o Chefe de Estado, propôs a 10 de Março 2019, para a realização das eleições legislativas. Mario Vaz diz que a data foi propostada pelo Governo em sintonia com a Cne e com o Gtape.

Neste caso em particular, o Paigc, o Prs a frente da maioria dos partidos políticos dizem que a marcação da data é da competência exclusiva do PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *